Entre o Feminino e o Sagrado

Artistas pernambucanos vão buscar nas divindades femininas a inspiração para os seus trabalhos.

Elas fazem parte do imaginário popular. Santas, deusas, orixás, entidades, seja qual for o credo, estão presentes na vida daqueles que buscam alcançar alguma graça ou um conforto nas horas mais difíceis. As divindades femininas movem a fé de um povo. Dentro desse Universo, muitos artistas vão buscar inspiração para os seus trabalhos. No Recife, dois pintores transferem para telas e tecidos, a mistura entre o feminino e o sagrado.

Caminhando pelo Mercado de São José no Centro do Recife, encontramos Geniz Marques, 37 anos. Com traços delicados, ele consegue imprimir em camisetas e quadros as características dos diferentes Orixás africanos, dos Santos Católicos e das entidades da Umbanda e Jurema (Religião de Matriz Indígena). “A delicadeza, a forma, a alma feminina, também estão ligadas ao sagrado. A preferência do público pelas deusas, santas e entidades, como as caboclas e as ciganas, ainda é bem maior”, diz. O artista impressiona pela rapidez. Em apenas meia hora, uma camiseta está pronta. As imagens conseguem expressar a graciosidade, o movimento, o olhar, os encantos e segredos das divindades. Para Geniz, a arte rompe as barreiras do preconceito e atrai pela beleza e refinamento. “ Os clientes não se preocupam com a religião. Vivemos em um momento onde é preciso respeitar as diferenças. É possível por exemplo, buscar o amor maternal em Nossa Senhora e ao mesmo tempo em Yemanjá. Os segredos e mistérios podem estar em Oxum e por que não nas ciganas? Muitos recorrem à Santa Bárbara, mas a ajuda também pode vir das caboclas da mata ”, exemplifica. O talento para a pintura se manifestou ainda na infância com os primeiros desenhos. “Na escola os professores orientaram meus pais a estimularem, desde cedo, as atividades artísticas. Foi assim que comecei. Mais tarde pude aperfeiçoar a técnica em cursos especializados.”, lembra. Na adolescência Geniz começou a pintar quadros e a vendê-los entre os amigos. As obras fizeram muito sucesso entre as pessoas mais próximas. Não demorou muito, e recebeu a sugestão para fazer pinturas em tecido. Por outro lado, viver da arte não é fácil. O trabalho é árduo e exige muita dedicação. De segunda a sábado, o pintor passa as manhãs e tardes no Mercado e a noite, ministra aulas de pintura. Apesar das dificuldades, todo o esforço é recompensado. Hoje, Geniz recebe encomendas de todo o Brasil, além de países como Espanha, Portugal e Alemanha. Quem passa pelo BOX 302 do Mercado de São José não resiste a uma olhada e boa parte das vezes acaba levando uma das peças. O segredo do sucesso, segundo ele, está na criatividade que surge naturalmente, mas com base nos conhecimentos de cada cultura. “A inspiração brota das histórias e lendas dessas mulheres encantadas. É esse combustível que move a minha arte.”, revela.


Em outro ponto da cidade, Damião Antônio, 34, tem na pintura um “hobby”, mas assim como Geniz, não para de receber encomendas. Adepto do Candomblé, ele encontra na religião o alicerce para o seu trabalho. De acordo com o artista, os Orixás representam os sentimentos humanos e no caso dos femininos, trazem o amor, a paixão, a liberdade da mulher, a sensualidade, o poder de conquista e a vaidade. As Yabás, como assim são chamados os Orixás femininos, trazem consigo todos os encantos e mistérios de uma mulher, características que mesmo em imagens, são capazes de seduzir. Segundo Damião, os homens são os clientes mais fiéis. “Não é difícil entender por que eles gostam tanto das pinturas. As deusas carregam as emoções humanas e como os mortais, são capazes de seduzir. Tudo é muito mágico”, afirma. O atelier funciona na própria casa do artista onde é possível conferir além das camisetas, quadros, roupas e adereços utilizados nas cerimônias religiosas. Há dez anos na área, Damião concilia o trabalho artístico com outras duas atividades. “Sou professor de matemática e analista de sistemas. Não é fácil, mas com disciplina e organização tudo é possível”, diz.


De acordo com o Babalorixá Sandro de Jucá, o fascínio que as divindades femininas exercem sobre o ser humano pode ser explicado pelo poder da mulher dentro da própria religião. “As religiões de matrizes africana e indígena são movidas pela energia feminina. Além do poder dos orixás e entidades, a mulher tem papel fundamental dentro dos cultos”, diz.

Já o presidente da Pastoral Arquidiocesana para Cultura e Educação da Arquidiocese de Olinda e Recife, Frei Rinaldo Pereira dos Santos, acredita que o encanto pelas santas católicas vem da busca constante por um ser superior. “A sede pelo sagrado é uma das características do ser humano e está presente, mesmo naqueles que se dizem ateus. As imagens são referenciais desse sagrado e por isso, quando alguém as adquire seja em quadros, estátuas ou camisetas, está trazendo o sagrado para perto de si. Isso faz a pessoa sentir-se mais protegida”, explica. Frei Rinaldo afirma também que a grande procura pelas santas, está ligada à necessidade de amparo. “A humanidade, hoje, está carente de afeto e cuidado. Quando não os encontram, muitos procuram o conforto na fé. Se formos observar dentro de um núcleo familiar, a mulher é aquela que acolhe e protege. Dentro da religião Católica, Nossa Senhora simboliza a maternidade, mas assim como ela, as demais santas são capazes de passar esse mesmo sentimento”, conclui.
Fotos: Arquivo pessoal dos Artistas Damião Antônio e Geniz Marques, Ismael Holanda e Drailton Gomes (Foto, frei Rinaldo Pereira)

Serviços:

Geniz Marques (Encomendas e cursos de pintura)BOX 302. Mercado de São José. Praça Don Vital, s/nº - São JoséFone: (81) 3225.0189 / 8876.0025Damião Antônio (Encomendas) Fone: (81) 8604.8804

categoria: , ,

*Apreciou este artigo? Compartilhe-o e deixe-nos um comentário abaixo.

6 | Divulgue e Comente!

  1. Apesar de vivermos em uma epoca que muitos querem descaracterizar nossas matrizes(Africana e Indígena ) a presença feminina é fundamental principalmente no que se refere as matrizes africanas o uso de torços turbantes e pano da costa que as melheres usam acima da barriga compôem uma vestuária restritamente feminina ,Homem não tem ventre e por isso não pode usar esse adorno acima da barriga,Na Jurema tambêm se impôe uma forte caracteristica feminina sendo o homem um grande complemento dentro da liturgia .Salve á Jurema sagrada !!! Salve o Quilombo Cultural Malunguinho em suas ações afirmativas !!!

  2. Muito importante a intervenção do Babalorixá Sandro de Jucá. De fato ele deu uma fala completamente coerente com a realidade do contexto do papel da mulher dentro do candomblé e do culto da Jurema Sagrada. A mulher tem papel fundamental, isso é pura consepção teologica! Axé.

    L'Omi.

  3. Anônimo says:

    primeiro parabenizar a atitude de ambos mostrar uma cultura rica, e o dom que vocês tem, parabéns Damião , vc merece, ficou ótimo o artigo!!!JOEL

  4. Anônimo says:

    ótimo trbalho damião!

  5. Uma cultura Rica, parabéns por matéria tão especial, repassando a Cultura e a importância dessa cultura na religiosidade em conjunto com o viver no Candomblé!
    Maravilhoso!
    Bruxa Jade Fênix

  6. MÁRCIO CARVALHO says:

    CONHEÇO DE PERTO O TRABALHO DE DAMIÃO SOU UM VERDADEIRO ADMIRADOR DE SUAS OBRAS; PENA Q ELE E NEM OS OUTROS ARTISTAS TENHAM SEU ESPAÇO RECONHECIDO COMO MERECESSEM FAÇO VOTOS Q COM ESTA MATÉRIA ELES TENHAM SEU ESPAÇO GARANTIDO NO MUNDO DAS ARTES
    MÁRCIO CARVALHO
    (AMIGO E FÃ DE DAMIÃO)